Tá liberado fritar no Tomorrowland 2016

A cidade de Itu, no interior de São Paulo, vai ficar pequena entre os dias 21 e 23 desse mês com a fritação do Festival Tomorrowland, que chega em sua segunda edição no Brasil. Ainda na ressaca do Lollapalooza, uma das grandes vitrines do que melhor se tem do indie rock contemporâneo, agora é o momento de conceder espaço aos DJs que frequentam as mais concorridas cabines mundo afora. 

Neste ano, o line-up conta com mais de 140 artistas vindos da Bélgica, Israel, Holanda, Estados Unidos e dezenas de outros países. As apresentações vão se dividir em seis palcos, onde as mais importantes influências da e-music serão tocadas ao público, uma miscelânea sonora que vai do hip hop ao deep house, trance e drum´n´bass, bass music, techno, trap, house e dubstep. O mais interessante é observar a diversidade da música eletrônica e suas inúmeras facetas, com espaço para o mix mais comerciais e os sets mais experimental, independente e autoral. 

Entre os destaques desse ano, talvez a mais interessante foi a organização abrir as portas para mais DJs brasileiros mostrarem o seu trabalho. Sendo assim, em meio aos já consagrados David Guetta e Dimitri Vegas & Like Mike, tocam o já queridinho Alok, o paulista Chapeleiro e suas raízes cravadas no underground, Gui Boratto e Tropkillaz, que vem fazendo um trabalho sensacional na cena do funk e o Buda já o listou como um dos DJs que estão mudando a cena atual.

No ano passado, o Tomorrowland atraiu mais de 180 mil ravers, entre brasileiros e gringos. Para essa edição, as expectativas seguem altas, considerando a boa repercussão.

Outra atração interessante é a mixagem complexa e de personalidade do duo holandês Blasterjaxx. Saca esse som!