5 shows imperdíveis do Lollapalooza 2015

Quando a organização do Lollapalooza Brasil 2015, que acontece agora no final de março em São Paulo, divulgou há poucas semanas os horários dos shows e a divisão de palcos, a internet veio abaixo com os raivosos que teriam de dar uma de Sofia para fazer suas escolhas: Kasabian ou St. Vincent? Skrillex ou Marina and the Diamonds? Jack White, Bastille ou Major Lazer? Perder o final de Interpol ou o início do The Kooks?

Dose.

Todo ano é preciso fazer alguns sacrifícios, mas no final é recompensador. A line-up deste ano oferece algumas das bandas nacionais mais interessantes dos últimos anos, DJs consagrados em pick-ups ao redor do mundo e a nata do rock alternativo contemporâneo. E Three Days Grace porque nada é perfeito.

Para você que vai ao festival e ainda está com dúvidas, o Blog do Buda faz um top 5 das apresentações que você não pode perder.

#5 INTERPOL

Direto de Nova York, o Interpol traz ao Lolla a turnê do quinto disco da banda lançado no ano passado, “El Pintor”, cujo título é um anagrama do nome da banda. Um dos grandes representantes do cenário indie rock, o Interpol é conhecido pela sonoridade obscura que flerta com o melódico, sobretudo por conta dos acordes de guitarra intensos em (des?)harmonia com a voz do vocalista Paul Banks, muito assimilável ao punk oitentista. 


#4 FOSTER THE PEOPLE

Depois do mega show inesquecível na primeira edição do festival, o power trio Foster the People retorna ao Lollapalooza Brasil ainda mais apegados ao ritmo eletrônico. Com “Torches”, de 2011, o público foi apresentado a um sonoridade simpática e com ritmo contagiante, assumidamente chiclete. Essa impressão parece ter ficado no passado, pois a banda demonstra notável maturidade tanto na produção refinada do vocalista Mark Foster quanto nas composições de teor crítico do novo disco “Supermodel”, um trabalho mais introspectivo e arriscado nas melodias. Promete. 


#3 THE SMASHING PUMPKINS

O Smashing Pumpkins está naquela do vai ou não vai ad infinitum. Com todo o respeito ao vocalista Billy Corgan, mas quase toda semana surge uma nova ameaça de sua parte alegando que vai abandonar a banda e essa atitude esgota os fãs. Sem falar que, não por nada, mas certamente essa insatisfação compromete o resultado das músicas porque, precisamos admitir, o último álbum deles do ano passado, “Monuments to an Elegy”, é de uma pobreza... Ainda assim, mesmo com algumas ressalvas, ainda é Smashing Pumpkins, uma das bandas responsáveis por revolucionar a música nos anos 90 e que tem uma incrível performance de palco. Vai ser foda.

(Vamos com uma das antigas por motivos óbvios)


#2 MARINA AND THE DIAMONDS

O Lado B da cultura pop se faz presente com Marina, uma das vozes mais surpreendentes da nova geração de cantoras. Apesar de andar juntinha à Lorde, Charlie XCX e Lana Del Rey, Marina tem um jeito próprio de fazer música, uma voz lírica e letras críticas, que marcaram os três primeiros álbuns. Agora a heartbreaker chega com um novo trabalho, que já está sendo apreciado pelos fãs brasileiros. “Froot” mostra o lado de Marina que aprendeu a desfrutar a vida com gosto. A vibe é meio Carmen Miranda, meio Edith Piaf e completamente bonita de se ver.


#1 JACK WHITE

The White Stripes, The Raconteurs, The Dead Weather... quem na música contemporânea pode ostentar uma carreira como essa? E avaliando essas bandas, é ainda mais incrível constatar que Jack White consegue ser superior com sua promissora carreira solo. No Lolla, ele vai apresentar os hits de seus dois álbuns, “Blunderbuss” e “Lazaretto”, lançado no fim do ano passado. Estamos falando de um dos grandes gênios em atividade na música mundial, então qualquer apresentação de Jack White não pode, não deve ser descartada.